História de Maria Aparecida

História de Maria Aparecida

Bem! Sou hoje uma jovem senhora. Porque meu espírito e coração são jovens e meu corpo honradamente tem os sinais de sessenta e sete anos bem vividos. Sou  ativa e participo de vários projetos do Sesc Pouso Alegre de Minas Gerais. Faço parte do grupo das voluntárias contadoras de historias e aprendo pintura em tecidos. Sempre assisto as palestras maravilhosas que visam a saúde mental das pessoas da terceira idade e gosto muito dos eventos externos em parques e praças de BH.  Como contadora de historias vamos à creches e asilos levar um pouco de alegria para crianças e adultos e, com certeza, sempre voltamos desses eventos engrandecidas. Nas aulas de pintura tenho meu melhor momento da semana.. Me realizo. me acalmo. recarrego as minhas baterias, porque a arte é terapêutica. Mas nem sempre foi assim.

No ano de 2015 começaram as perdas em minha vida e eu não estava preparada para elas . Aliás. acho que ninguém está preparada para perdas, principalmente quando envolvem pessoas queridas e amadas . Primeiro foi minha mãe. depois minha única irmã e nesse mesmo ano meu netinho tanto esperado também foi para os braços de DEUS. Os desígnios de DEUS não podem ser questionados, mas até entendermos isso leva tempo às vezes. Algumas pessoas conseguem mais facilmente outras não e eu estava no grupo das que entram em depressão. Busquei ajuda no Sesc.

Cheguei para uma entrevista na sede da Pouso Alegre. Cheguei aos prantos. Fui acolhida com todo amor. atenção e carinho. Enxugaram as minhas lágrimas e deram um respaldo que eu jamais tinha recebido e nem imaginava que existia. Hoje, 2019. ainda estou por aqui. Feliz. alegre e forte para enfrentar as adversidades da vida, porque elas existem. Mas quando você  tem uma instituição. como essa, voltada para a inclusão e ajuda das pessoas idosas, tudo fica mais fácil! Sou muito agradecida a todos! Obrigada! Quero estar por aqui por muito, muito tempo!

VOLTAR